segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Trio tenta levar joias de loja do Shopping Center Norte em Santana

Publicado por

A maior parte das lojas do shopping Center Norte, em Santana, ainda estava fechada quando três homens atiraram contra a vitrine da joalheria Pubijou, localizada no corredor principal. A tentativa de roubo acabou em tiroteio. Um segurança ficou ferido e os bandidos conseguiram fugir.

De acordo com a polícia, a ação ocorreu por volta das 12h30. Os disparos estilhaçaram os vidros da loja. Com exceção dos grandes magazines – como C&A e Renner -, da praça de alimentação e do cinema, aos domingos, as lojas funcionam das 14 às 20 horas.

“Os bandidos não chegaram a entrar no estabelecimento. Parece que eles queriam roubar as peças expostas”, afirmou o tenente da Polícia Militar Cássio César Galhardo, que foi acionado pelo 190, e chegou ao local minutos depois do ataque. Não há informações sobre o que foi levado. Ao ser notado pelos bandidos, um segurança foi baleado e em seguida levado ao Pronto Socorro de Santana. A assessoria do shopping informou que o funcionário passa bem e que a segurança interna não é armada.

Oito viaturas foram acionadas. “O shopping tem muitas entradas. Chegamos por um lado e os bandidos escaparam por outro”, explicou o tenente Galhardo. No total, existem 11 entradas no local. Os três homens percorreram cerca de 150 metros até chegar à saída que dá acesso à Avenida Otto Baumgart, que leva à Marginal do Tietê. No estacionamento, roubaram um Corsa azul. O carro já foi localizado pela polícia. O caso foi registrado na 2.ª Delegacia do Patrimônio do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic).

Galhardo acredita que não foi uma ação planejada. “Os bandidos escolheram a primeira que viram. E ela nem é a que possui produtos mais valiosos. ” O Center Norte possui 10 lojas de joias. Uma delas, a H.Stern fica em frente à assaltada.

Os tiros provocaram pânico. “Muita gente entrou correndo na loja assim que ouviu os estampidos. Abaixei para me proteger porque as portas fecham muito lentamente”, contou o segurança da C&A, Rodrigo Bartelochi, de 25 anos, que trabalha ali há três meses e pensa em mudar de profissão. “Agora virou moda assaltar joalherias de shoppings. A gente trabalha com medo o dia todo.”

O gerente da cervejaria Munique, Avalone de Mattos, de 50 anos, que fica perto de uma das saídas do prédio, viu os bandidos fugirem. “Eles passaram correndo. Só vi um armado”, conta. Com medo, os clientes pularam para se esconder atrás dos balcões dos restaurantes. ”

O desespero dos frequentadores foi tão grande, que ele disse ter visto um senhor cadeirante abandonado na praça de alimentação. “Toda a família correu, e ele não tinha como se esconder porque estava fora da cadeira de rodas.” Por causa do tumulto, um desfile infantil, programada para as 14h no boulevard do shopping foi cancelado.

Deixe um Comentário