Bairro Santana > Serra da Cantareira

Serra da Cantareira

   

Serra da Cantareira

O Parque Estadual da Serra da Cantareira abraça a Cidade de São Paulo, e proporciona aos amantes da natureza uma região onde podemos ter contato com um dos ecossistemas mais fascinantes do planeta: a Mata Atlântica. Tudo isso à menos de 20 km do centro da cidade de São Paulo. A capital paulista ainda guarda incríveis surpresas embaixo das verdes copas das árvores.


O Parque Estadual da Serra da Cantareira possui 7.916,52 hectares, o equivalente a quase 8.000 campos de futebol do tamanho do Morumbi (79 milhões de metros quadrados). Conta com quatro núcleos de visitação para quem quiser descobrir o lado verde da capital paulista: Pedra Grande, Engordador, Águas Claras e Cabuçu.


Antigamente, nos séculos XVI e XVII, a região era cortada pelos tropeiros que faziam o comércio entre São Paulo e outras regiões do país, principalmente Minas Gerais e Goiás. Naquela época era costume armazenar água em jarros chamados cântaros, que eram colocados em prateleiras chamadas de "cantareiras". Por isso a serra recebeu o nome de “Serra da Cantareira”.

Serra da Cantareira
Trilha da Serra da Cantareira

Com a colonização da região grande parte da floresta nativa foi derrubada para dar lugar a fazendas de café, erva mate e cana de açúcar, que ocuparam por muito tempo o lugar da mata nativa.


No século XIX, com o grande crescimento populacional, a cidade de São Paulo foi afetada por graves problemas com relação ao abastecimento de água. Em 1864 estudos desenvolvidos concluíram que a solução viria da utilização do Ribeirão da Pedra Branca, na região da Serra da Cantareira, por sua proximidade com a cidade e pela excelente qualidade de suas águas.


No final do século XIX, em 1890 o governo da província de São Paulo desapropriou a região da Serra da Cantareira a fim de recuperar a mata e manter preservadas os mananciais de água para garantir o abastecimento da cidade através das represas Engordador, Barrocada e Cabuçu. Assim em 1894 foi iniciada a construção da Casa da Bomba no local onde é hoje o Núcleo Engordador para auxiliar na distribuição de água para São Paulo e em 1907 foram concluídas as obras do Reservatório do Engordador. O sistema de abastecimento iniciou-se em 1909 e fornecia água para abasteceu quase 80% da capital paulista. Após uma explosão a Casa da Bomba foi desativada em 1949.


Após as desapropriações a natureza gradativamente retomou seu lugar e hoje pode-se considerar que a mata já se encontra novamente em seu estado original.


A região da Serra da Cantareira foi instituída como Reserva Florestal em 1963 através do Decreto 41.626 e posteriormente em 1986 grande parte da região foi transformada no Parque Estadual da Serra da Cantareira, Unidade de Conservação que hoje garante a preservação da rica biodiversidade que o local abriga, atualmente um dos mais expressivos remanescentes de mata atlântica que no passado cobria as cadeias montanhosas desde o Nordeste até o Rio Grande do Sul.


Em 1994 a região da Serra da Cantareira foi reconhecida pela UNESCO como parte da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo.